A agrometeorologia catarinense: estações convencionais

Hugo José Braga, Wilian da Silva Ricce, Cristina Pandolfo, Luiz Hamilton Pospissil Garbossa, Angelo Mendes Massignam, Everton Blainski, Hamilton Justino Vieira

Resumo


É inegável a contribuição da Agrometeorologia para o desempenho da agropecuária catarinense, fundamentalmente a fruticultura, a olericultura e o cultivo de espécies básicas de nossa socioeconomia balizadas pelo zoneamento agrícola.
Este documento ressalta o esforço da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) direcionado para o desenvolvimento e a aplicação dos fundamentos dessa ciência em nosso território desde a década de 1970.
O posicionamento das sucessivas diretorias da Epagri contribuiu estrategicamente para o seu aperfeiçoamento. Os gestores da Empresa entenderam que o domínio dos processos que envolvem a interação tempo/clima/planta-animal/solo são fatores de sucesso para os empreendimentos da agropecuária.
Esse apoio fundamentou-se pela forte formação profissional da agrometeorologia de nossa instituição e está relacionado à instrumentalização dos processos necessários para desvendar e conhecer com profundidade o clima reinante nos diversos agroecossistemas existentes e suas relações com os processos produtivos da agricultura atual.
A implantação de inúmeros observatórios do clima, materializados em mais de 200 unidades espalhadas estrategicamente pelo estado catarinense, é a prova inequívoca do empenho da Epagri nesse sentido. Este trabalho aborda exclusivamente as estações climatológicas e agrometeorológicas convencionais implantadas nas diferentes décadas passadas, bem como o funcionamento, os cuidados com a manutenção e a observação contínua, sem interrupção pela Epagri em Santa Catarina.
Embora o avanço tecnológico contemporâneo, centrado em equipamentos eletroeletrônicos, apresente inúmeras facilidades, a observação convencional ainda depende de profissionais observadores meteorológicos. O monitoramento de pragas e doenças, dos processos fenológicos e do comportamento dos animais é, portanto, indispensável nas diferentes escalas do clima (macro, meso e micro). 
Várias razões tornam necessária a manutenção de estações convencionais representativas das principais regiões catarinenses. Além de verdadeiros observatórios do clima de nosso estado, elas são básicas para estudos das mudanças climáticas sentidas nos últimos tempos.


Palavras-chave


estações meteorológicas; instrumentos

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Epagri

DOCUMENTOS

ISSN  on-line

ISSN 0100-8986 impresso

 

Epagri / Departamento Estadual de Marketing e Comunicação (DEMC)

Editoria Técnica
Fone: (48)3665-5449