Relação do perfil proteico de dietas comerciais no desempenho de tilápia-do-nilo

Bruno Corrêa Silva, Haluko Massago

Resumo


O objetivo deste estudo foi avaliar o desempenho zootécnico da tilápia-do-nilo alimentada com diferentes dietas comerciais, e relacionar com a composição centesimal e aminograma das dietas. Foram avaliadas cinco dietas (A, B, C, D e E) indicadas para o cultivo de tilápias na fase de terminação (200 a 600g). Duzentos e vinte cinco tilápias (201,5 ± 4,7 g) foram distribuídos em 15 tanques-rede de 1 m³ instalados em um viveiro de 300 m². Após 98 dias de cultivo, os peixes alimentados com a dieta E apresentaram os melhores resultados, com ganhos no peso final, rendimento de filé e conversão alimentar de até 20% superior em relação às outras dietas. Esta dieta foi a única que atingiu os valores de exigência mínima de triptofano, além de apresentar um balanço de aminoácidos mais próximo da proteína ideal para tilápia. A dieta B apresentou valores de proteína abaixo do rótulo (26%), além de deficiências em metionina, lisina e triptofano, resultando em pior ganho de peso e conversão alimentar. A distância do balanço de aminoácidos das dietas em relação a proteína ideal para tilápias (DPI) mostrou uma relação significativa com o peso final e o rendimento de filé. Sendo assim, conclui-se que a dieta comercial contendo um balanço de aminoácidos, ou seja, um menor DPI apresenta o melhor desempenho.


Palavras-chave


Oreochromis niloticus; nutrição; terminação; proteína ideal.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22491/RAC.2019.v32n3.10

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Revista Agropecuária Catarinense



REVISTA AGROPECUÁRIA CATARINENSE (RAC) 

       ISSN 2525-6076 on-line
       ISSN 0103-0779 impresso
        

Epagri / Departamento Estadual de Marketing e Comunicação (DEMC)

Editoria Técnica
Fone: (48)3665-5449