Aspectos técnicos de manejo utilizados no Sul catarinense na cultura do milho

Autores

  • Leandro Furlan Cesconetto Fundação educacional Barriga Verde-UNIBAVE
  • Guilherme Doneda Zanini Fundação Educacional Barriga Verde-UNIBAVE
  • Jerffeson Araújo Cavalcante Intituto Catarinense de Sanidade Agropecuária-ICASA
  • Paulo Eduardo Rocha Eberhardt Fundação Educacional Barriga Verde-UNIBAVE
  • Ricardo Miotto Ternus Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina-CIDASC

DOI:

https://doi.org/10.52945/rac.v34i2.912

Palavras-chave:

Zea mays L, Práticas agronômicas, Produtividade

Resumo

O milho é uma cultura de destaque no Sul Catarinense, mas a falta de conhecimento adequado ao manejo da cultura impacta na produtividade. O objetivo foi realizar o levantamento das práticas agronômicas utilizadas em propriedades agrícolas produtoras de milho em grão no sul de Santa Catarina e traçar um diagnóstico dos sistemas atuais adotados. Foram aplicados questionários, nos quais adotou-se o modelo das proporções populacionais, que demostrou a necessidade de aplicação de 84 questionários para a obtenção de uma amostra com 95% de confiança e 5% de erro amostral máximo, em 20 municípios do Sul Catarinense para avaliar as técnicas empregadas no cultivo e suas implicações produtivas. De forma geral, pode-se constatar que a adoção de práticas de manejo, como espaçamento reduzido, alta densidade de semeadura e manejo de pragas e doenças foram fatores agregadores de produtividade na cultura.

Biografia do Autor

Leandro Furlan Cesconetto, Fundação educacional Barriga Verde-UNIBAVE

Possui graduação em Agronomia pelo Fundação Educacional Barriga Verde(2017). Atualmente é Agente Operacional Técnico da Centrais de Abastecimento de alimentos de Santa Catarina. Tem experiência na área de Agronomia

Guilherme Doneda Zanini, Fundação Educacional Barriga Verde-UNIBAVE

Possui graduação em Agronomia (2008), mestrado em Ciência Animal (2011) e doutorado em Produção Vegetal (2014) pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), no Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV), campus Lages. Atualmente atua como pesquisador do Núcleo de Pesquisa e Extensão aplicados às Ciências Agroveterinárias (PACA) do Centro Universitário Barriga Verde (UNIBAVE), docente nos cursos de graduação em Agronomia, Engenharia de Produção, Medicina Veterinária e no curso Técnico em Agropecuária, além de coordenador de estágios curriculares no curso Técnico em Agropecuária, mantida pela Fundação Educacional Barriga Verde (FEBAVE). Atua desde 2016 como membro do NDE dos cursos de Agronomia e Medicina Veterinária e desde 2018 como membro do NDE do curso de Engenharia de Produção. É membro do Conselho de Administração Superior (CAS) do Unibave desde 2016, como representante dos docentes de curso. É líder de grupo de pesquisa - CNPq, do Núcleo de Pesquisa e Extensão aplicados às Ciências Agroveterinárias (PACA) (http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/5667670545111369). É membro do Projeto Associado em Rede Interdisciplinar em Sistemas Produtivos - PPGISP, (UNIPLAC/UNESC/UNIVILLE/UNIFEBE/UNIARP/UNIBAVE) submetido à avaliação da CAPES. É Engenheiro Agrônomo responsável da Agropecuária Brighente (Lauro Müller) desde 2015. Possui vários artigos em periódicos, capítulos de livros e trabalhos em anais de eventos. Orienta alunos de graduação, de iniciação científica e de extensão. Desenvolve pesquisas com plantas forrageiras de clima tropical e subtropical. Coordena projetos de extensão no âmbito agronômico e da sustentabilidade. Tem experiência com manejo de plantas forrageiras atuando principalmente nos seguintes temas: acúmulo de forragem, manejo de pastagens, morfogênese e interceptação de luz.

Jerffeson Araújo Cavalcante, Intituto Catarinense de Sanidade Agropecuária-ICASA

Eng. Agrônomo formado pela Universidade Federal de Campina Grande, Mestre e Doutorando em Ciência e Tecnologia de Sementes pela Universidade Federal de Pelotas (FAEM/UFPEL), desenvolvendo trabalhos com o objetivo principal de desenvolver equipamentos tecnológicos afim de aprimorar testes de vigor em sementes de diversas espécies de interesse agrícola. Atualmente é Analista Ambiental Agropecuário pelo Instituto Catarinense de Sanidade Agropecuária, atuando no planalto norte do Estado de Santa Catarina.

Paulo Eduardo Rocha Eberhardt, Fundação Educacional Barriga Verde-UNIBAVE

Possui graduação em agronomia pela Universidade Federal de Pelotas (2011), mestrado em Ciência e Tecnologia de Sementes pela Universidade Federal de Pelotas (2015) e doutorado em Ciência e Tecnologia de Sementes pela Universidade Federal de Pelotas (2018). Atualmente é professor de ensino superior da Fundação Educacional Barriga Verde. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Agronomia, atuando principalmente nos seguintes temas: semente, feijão, vigor, genótipos e vigna.

Ricardo Miotto Ternus, Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina-CIDASC

Engenheiro Agrônomo, formado pela Universidade Federal de Santa Catarina (2004), mestre e doutor em Ciência e Tecnologia de sementes pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Atualmente é Secretário Adjunto de Estado da Agricultura da Pesca e do Desenvolvimento Rural de Santa Catarina. Atuou na gestão do Departamento Estadual de Sanidade Vegetal, na Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (CIDASC) nas áreas de controle da qualidade dos insumos agrícolas, com ênfase no controle externo de qualidade de sementes, agrotóxicos e na sanidade vegetal. É professor do curso de agronomia do Centro Universitário Barriga Verde (UNIBAVE) nas disciplinas de plantas de lavoura e tecnologia de produção de sementes. Possui experiência nas áreas da tecnologia de produção de sementes, defesa agropecuária, fiscalização de insumos agrícolas, manejo de pastagens e produção de leite e carne à base de pasto.

Referências

ALMEIDA, M.L.; SANGOI, L.; ENDER, M. Incremento na densidade de plantas: uma alternativa para aumentar o rendimento de grãos de milho em regiões de curta estação estival de crescimento. Ciência Rural, Santa Maria, v.30, p.23-29, 2000.

ANDRADE, F.H.; VEGA, C.; UHART, S.O. Kernel number determination in maize. Crop Science, Madison, v. 39, p. 453-459, 1999.

AVELAR, S.A.G.; BAUDET, L.; PESKE, S.T.; LUDWIG, M.P.; RIGO, G.A.; CRIZEL, R. L.; OLIVEIRA, S. Armazenamento de sementes de soja tratadas com fungicida, inseticida e micronutrientes e recobertas com polímeros líquidos e em pó. Ciência Rural, vol. 41, n. 10, p. 1719-1725, 2011. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-84782011005000130

BAMBOLIM, A.; CAIONE, G.; SOUZA, N. F.; SEBEN-JUNIOR, G. F.; FERBONINK, G. F. Calcário líquido e calcário convencional na correção da acidez do solo. Revista de Agricultura Neotropical, Cassilândia-MS, v. 2, n. 3, p.34–38, jul./set. 2015.

CIDASC. Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina. Santa Catarina, 2016. Disponível em: http://www.cidasc.sc.gov.br/blog/2016/05/24/milho-e-uma-das-principais-fontes-de-alimento-do-brasileiro-com-importancia-estrategica-nas-exportacoes-do agronegócio Acesso em: 30 set. 2017.

CONAB. Companhia Nacional de Abastecimento. Acompanhamento da safra brasileira de grãos – v.1, n.1 Brasília: Conab, 2013. Acesso em: 05 fev. 2021.

CRUZ, I.; VALICENTE, H.F.; VIANA, P.A.; MENDES, S.M. Risco Potencial das Pragas de Milho e Sorgo no Brasil. Minas Gerais, p. 9, 2013.

EPAGRI. Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina, 2017. Santa Catarina. Disponível em http://docweb.epagri.sc.gov.br/website_cepa/Boletim_agropecuario/boletim_agropecuario_n52.pdf. Acesso em: 18. out. 2017.

FANCELLI, A. L. Cultivo racional e sustentável requer maior conhecimento sobre planta do milho. Visão Agrícola USP ESALQ, São Paulo, ano 9, p.20-23, 2015.

FATORELLI, L.; MERTENS, F. Integração de políticas e governança ambiental: o caso do licenciamento rural no Brasil. Ambiente & Sociedade, Campinas/SP, v.13, n.2, p.401-415, 2010.

FERREIRA, L. E.; Souza, E.P. e Chaves, A. F.; Adubação verde e seu efeito sobre os atributos do solo. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável. vol. 7, n. 1, p. 33-38. 2012.

GARCIA C. J.; MATTOSO J. M.; DUARTE J. de O.; CRUZ C. Aspectos Econômicos da Produção e Utilização do Milho. Minas Gerais, dezembro, p.5, 2006.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRÁFIA E ESTATISTICA - IBGE, Censo agropecuário, Rio de Janeiro, v.7, p.1-108, 2017.

MORAIS, P. P. P.; BORÉM A. Maior interação com o ambiente eleva uso de cultivar transgênico no Brasil. Visão Agrícola USP ESALQ, São Paulo, ano 9, p.61-65, dez 2015.

OLIVEIRA, C. M. R.; PASSOS, R. R.; ANDRADE, F. V.; REIS, E. F.; STURM, G. M.; SOUZA, R. B. Corretivo da acidez do solo e níveis de umidade no desenvolvimento da cana-de-açúcar. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, Recife-PE, v.5, n.1, p.25-31, 2010.

PASCHOALATI, S.F.; MELO, T. A.; DURIGAN DALIO, R. J. Indução de resistência contra patógenos: definição e perspectivas de uso. Visão Agrícola USP ESALQ, São Paulo, ano 9, p.110-112, 2015.

PIMENTEL-GOMES, F. Estatística aplicada a experimentos agronômicos e florestais: exposição com exemplos e orientações para uso de aplicativos. Piracicaba: FEALQ, 2002.

SANGOI, L.; ENDER, M.; GUIDOLIN, A.F.; ALMEIDA, M.L.; HEBERLE, P.C. Row spacing reduction influencing maize grain yield in regions with a short summer. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.36, 861-869, 2001.

SOLOGUREN, L. Demanda mundial cresce e Brasil tem espaço para expandir produção. Visão Agrícola USP ESALQ, São Paulo, ano 9, p.8-11, 2015.

STRAZZI, S. Derivados do milho são usados em mais de 150 diferentes produtos industriais. Visão Agrícola USP ESALQ, São Paulo, ano 9, p.146- 150, 2015.

Downloads

Publicado

2021-08-24

Como Citar

Cesconetto, L. F., Zanini, G. D., Cavalcante, J. A., Eberhardt, P. E. R., & Ternus, R. M. (2021). Aspectos técnicos de manejo utilizados no Sul catarinense na cultura do milho. Agropecuária Catarinense, 34(2), 73-77. https://doi.org/10.52945/rac.v34i2.912

Edição

Seção

Artigo Científico