Suscetibilidade do camarão-branco do Pacífico à infecção com Vibrio alginolyticus em diferentes saturações de oxigênio

Autores

  • Mauricio Lehmann Pesquisador do Núcleo de Pesquisa em Pesca e Aquicultura (Nupa Sul-1) do Instituto Federal Catarinense – campus Araquari (IFCCA), BR-280, Km 27, 89245-000 Araquari, SC
  • Delano Dias Schleder Pesquisador do Nupa Sul-1 do IFCCA
  • Adolfo Jatobá Pesquisador do Nupa Sul-1 do IFCCA
  • Luciane Maria Perazzolo Pesquisadora do Laboratório de Imunologia Aplicada à Aquicultura (LIAA) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), 88040-900 Florianópolis, SC
  • Luis Vinatea Pesquisador do Laboratório de Camarões Marinhos (LCM) da UFSC, Beco dos Coroas, 503, 88061-600 Florianópolis, SC

Palavras-chave:

Litopenaeus vannamei, saturação de oxigênio, infecção bacteriana

Resumo

Resumo: O objetivo deste trabalho foi avaliar a mortalidade acumulativa, a contagem total de hemócitos (CTH) e a produção de espécies reativas de oxigênio (EROs) de camarões Litopenaeus vannamei infectados com Vibrio alginolyticus e submetidos a diferentes saturações de oxigênio dissolvido. Para tanto, 240 camarões (10 ± 1,5g) foram distribuídos em 16 caixas plásticas (60L), divididos em quatro grupos, infectados e não infectados, submetidos a 30% ou 100% de saturação (em quadruplicata). Foram coletadas amostras de hemolinfa para avaliação da CTH e das EROs antes (0h) e depois (24h, 48h e 72h) da infecção, e estimada a mortalidade nesse período. Foi observada mortalidade apenas nos tratamentos com infecção, sendo maior com 30% de saturação (97,2%) do que 100% (77,8%), porém não foram constatadas diferenças significativas na CTH e nas EROs dos animais infectados e não infectados em ambas as saturações. Dessa forma, pode-se concluir que a hipóxia aumenta a susceptibilidade dos camarões à infecção bacteriana, porém, aparentemente, sem relação com a modulação da quantidade de hemócitos circulantes e do burst respiratório.

 

Biografia do Autor

Mauricio Lehmann, Pesquisador do Núcleo de Pesquisa em Pesca e Aquicultura (Nupa Sul-1) do Instituto Federal Catarinense – campus Araquari (IFCCA), BR-280, Km 27, 89245-000 Araquari, SC

Médico-veterinário, Dr.

Delano Dias Schleder, Pesquisador do Nupa Sul-1 do IFCCA

Biólogo, M.Sc.

Adolfo Jatobá, Pesquisador do Nupa Sul-1 do IFCCA

Engenheiro de aquicultura, Dr.

Luciane Maria Perazzolo, Pesquisadora do Laboratório de Imunologia Aplicada à Aquicultura (LIAA) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), 88040-900 Florianópolis, SC

Bióloga, Dra.

Luis Vinatea, Pesquisador do Laboratório de Camarões Marinhos (LCM) da UFSC, Beco dos Coroas, 503, 88061-600 Florianópolis, SC

Biólogo, Dr.

Referências

BARRACCO, M.A.; PERAZZOLO, L.M.; ROSA, R.D. Inmunología del camarón. In: MORALES, V.; CUÉLLAR-ANJEL J. (Eds.) Guía técnica – patología e inmunología de camarones penaeídos. Panamá: New Concept Publications, 2008. p.161-224.

CHENG, W.; Liu , C.H.; HSU, J.P. et al. Effect of hypoxia on the immune response of giant prawn Macrobachium rosenbergii and its susceptibility to pathogen Enterococcus. Fish Shellfish Immun., v.13, p.351-356, 2002.

FRIDOVICH, I. Mitochondria: are they the seat of senescence? Aging Cell, v.3, p.13-16, 2004.

GUERTLER, C.; SCHLEDER, D.D.; BARRACCO, M.A. et al. Comparative study of the intracellular superoxide anion production in different penaeid species through the NBTreduction assay. Aquac Res, v.41, p.1082-1088, 2010.

LABREUCHE, Y.; LAMBERT, C.; SOUDANT, P. et al. Cellular and molecular hemocyte responses of the Pacific oyster, Crassostrea gigas, following bacterial infection with Vibrio aestuarianus strain 01/32. Microbes Infect, v.8, p.2715-2724, 2006.

LE MOULLAC, G.; HAFFNER, P. Environmental factors affecting immune responses in Crustacea. Aquaculture, v.191, p.121-131, 2000.

LI, Y.; LI, J.; WANG, Q. The effects of dissolved oxygen concentration and stocking density on growth and non-specific immunity factors in Chinese shrimp, Fenneropenaeus chinensis. Aquaculture, v.256, p.608-616, 2006.

LI, C.C.; LI, S.T.; CHEN, J.C. Innate immunity of the white shrimp Litopenaeus vannamei weakened by the combination of a Vibrio alginolyticus injection and low-salinity stress. Fish Shellfish Immun., v.28, p.121-127, 2010.

MORALES-COVARRUBIAS, M.S. Enfermidades bacterianas. In: MORALES, V.; CUÉLLAR-ANJEL J. (Eds.). Guía técnica – patología e inmunología de camarones penaeidos. Panamá: New Concept Publications, 2008. p.116-134.

SEPULCRE, M.P.; SARROPOULOU, E.; KOTOULAS, G. et al. Vibrio anguillarum evades the immune response of the bony fish sea bass (Dicentrarchus labrax L.) through the inhibition of leukocyte respiratory burst and down-regulation of apoptotic caspases. Mol Immunol, v.44, p.3751-3757, 2007.

TANGUY, M.; MCKENNA, P.; GAUTHIERCLERC, S. et al. Functional and molecular responses in Mytilus edulis hemocytes exposed to bacteria Vibrio splendidus. Dev Comp Immunol, v.29, p.419-429, 2013.

TRAN, L.; NUNAN, L.; REDMAN, R.M. et al. Determination of the infectious nature of the agent of acute hepatopancreatic necrosis syndrome affecting penaeid shrimp. Dis. Aquat. Org. v.105, p.45-55, 2013.

Downloads

Publicado

2017-01-27

Como Citar

Lehmann, M., Schleder, D. D., Jatobá, A., Perazzolo, L. M., & Vinatea, L. (2017). Suscetibilidade do camarão-branco do Pacífico à infecção com Vibrio alginolyticus em diferentes saturações de oxigênio. Agropecuária Catarinense, 28(2), 67-70. Recuperado de https://publicacoes.epagri.sc.gov.br/rac/article/view/163

Edição

Seção

Artigo Científico