Viabilidade econômica de estudo sanitário e ambiental da malacocultura conforme recomendações internacionais

Autores

  • Luis Hamilton Pospissil Garbossa Epagri / Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina - Ciram Rod. Admar Gonzaga, 1347, 88034-901 Florianópolis, SC, fone: (48) 3665-5162
  • Glaucia Padrão Epagri/Centro de Estudos de Socioeconomia e Planejamento Agrícola - Cepa
  • Marcos Vinicius Pfleger Rosa
  • Reney Dorow Epagri /Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola - Cepa
  • Katt Regina Lapa UFSC/Centro de Ciências Agrárias/Departamento de Aquicultura, Florianópolis, SC, e-mail:

Palavras-chave:

custos, avaliação, meio ambiente, malacocultura

Resumo

Resumo: A malacocultura é uma atividade em crescimento no Brasil, especialmente em Santa Catarina, com a maior produção de moluscos ocorrendo nas baías da Ilha de Santa Catarina. O governo brasileiro, através de recomendações e normas, estabeleceu um programa de monitoramento e controle das áreas de produção, focando a qualidade dos alimentos provenientes da malacocultura. Para que seja viabilizada a exportação da carne, o mercado internacional exige uma série de estudos que garanta a qualidade sanitária da região produtora. Nesse sentido, um estudo sanitário ambiental foi aplicado na região das Baías da Ilha de Santa Catarina (BISC), tendo por base, mas não limitado a, a exigência europeia do Centre for Environment, Fisheries & Aquaculture Science (Cefas). Este trabalho visou levantar os custos e avaliar a viabilidade econômica do desenvolvimento de estudo sanitário ambiental para apoio na definição de áreas apropriadas para o cultivo comercial de moluscos. O  custo total do estudo foi de R$ 910.968,95, e o resultado do trabalho mostra que a implementação de estudo sanitário ambiental em áreas similares às baías  Norte e Sul são economicamente viáveis.


Biografia do Autor

Luis Hamilton Pospissil Garbossa, Epagri / Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina - Ciram Rod. Admar Gonzaga, 1347, 88034-901 Florianópolis, SC, fone: (48) 3665-5162

Engenheiro Civil, Dr.

Glaucia Padrão, Epagri/Centro de Estudos de Socioeconomia e Planejamento Agrícola - Cepa

Economista, Dra.

Marcos Vinicius Pfleger Rosa

Engenheiro de Aquicultura

Reney Dorow, Epagri /Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola - Cepa

Engenheiro-agrônomo, MSc.

Katt Regina Lapa, UFSC/Centro de Ciências Agrárias/Departamento de Aquicultura, Florianópolis, SC, e-mail:

Engenheira Civil, Dra.

Referências

CAMPOS, C.J.A.; KERSHAW, S.R.; LEE, R.J. Environmental influences on faecal indicator organisms in coastal waters and their accumulation in bivalve shellfish. Estuaries and Coasts, v.36, n.4, p.1559-2723, 2013.

CHENEY, D.P. Bivalve Shellfish Quality in the USA: From the Hatchery to the Consumer, Journal of the World Aquaculture Society, v.41, n.2, p.192-206, 2010.

FUGLIE, K.; O. HEISEY, P.W. Economic Returns to Public Agricultural Research. EB-10. U.S. Dept. of Agriculture, Economic Research Service. Sep. 2007. Disponível em: http://www.ers.usda.gov/media/195594/eb10_1_.pdf>.

GARBOSSA, L.H.P; DE SOUZA, R.V.; VIANNA, L.F.N.; VANZ, A.; RUPP, G.S. Moluscos bivalves: Metodologia utilizada no Inquérito Sanitário das baías da Grande Florianópolis. Florianópolis: Epagri, 2014. 42p. (Epagri. Boletim Técnico, 165).

GROPPELLI, A.A.; NIKBAKHT, E. Administração financeira. Tradução de Célio Knipel Moreira. 2.ed. São Paulo: Saraiva, 2002.

KAY, D.; KERSHAW, S.; LEE, R.; WYER, M.D.; WATKINS, J.; FRANCIS, C. Results of field investigations into the impact of intermittent sewage discharges on the microbiological quality of wild mussels (Mytilus edulis) in a tidal estuary. Water Research, v.41, p.3033-3046, 2008.

MOSCHEN, F.V.A. Análise tecnológica e sócio-econômica do cultivo de moluscos bivalves em sistema familiar na baía da Ilha Grande, Angra dos Reis, R.J. 113p. Tese (Doutorado). Centro de Aquicultura, Universidade Estadual Paulista, Jaboticabal, SP, 2007.

MPA. Ministério da Pesca e Aquicultura. Boletim Estatístico da Pesca e Aquicultura. Brasília: MPA, 2013. 60p.

NOVAES, L.T.N.; VIANNA, L.F.N.; DOS SANTOS, A.A.; SILVA, F.M.; DE SOUZA, R.V. Planos Locais de Desenvolvimento da Maricultura de Santa Catarina. Panorama da Aquicultura, v.122, p.52-58, 2010.

ROSA, M.V.P. Comparativo de custos para desenvolvimento de estudo ambiental para classificação de parques aquícolas destinados ao cultivo de moluscos bivalves. 54f. Monografia (Graduação em Engenharia de Aquicultura). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, 2014.

SANTOS, A.A.; COSTA, S.W. Síntese Informativa da Maricultura. Florianópolis: Epagri/Cedap, 2014. Disponível em: http://www.epagri.sc.gov.br/wp-content/uploads/2013/08/Sintese_informativa_da_maricultura_2013.pdf>. Acesso em: 20 maio 2015.

SOUZA FILHO, J. Custo de produção da ostra cultivada. Florianópolis: Epagri/Cepa, 2003. 23p. (Cadernos de Indicadores Agrícolas, 3).

Downloads

Publicado

2017-01-09

Como Citar

Garbossa, L. H. P., Padrão, G., Rosa, M. V. P., Dorow, R., & Lapa, K. R. (2017). Viabilidade econômica de estudo sanitário e ambiental da malacocultura conforme recomendações internacionais. Agropecuária Catarinense, 29(3), 66-70. Recuperado de https://publicacoes.epagri.sc.gov.br/RAC/article/view/150

Edição

Seção

Artigo Científico

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.