Modelos matemáticos para a estimativa da área foliar de cultivares brasileiros de goiabeira-serrana (Acca sellowiana)

Autores

  • Fernando David Sánchez-Mora Engenheiro Agrônomo, M.Sc., Programa de Pós-graduação em Recursos Genéticos Vegetais (RGV), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Rod. Admar Gonzaga, 1346, 88.034-000, Florianópolis, SC. http://orcid.org/0000-0002-9078-2290
  • Marcelo Borghezan Engenheiro Agrônomo, Dr., Frutifica Treinamento. Rua São Pedro Velho, 600, 89.136-000, Rodeio, SC. E-mail: https://orcid.org/0000-0001-9122-7339
  • Luciano Saifert Programa de Pós-graduação em Recursos Genéticos Vegetais (RGV), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Rod. Admar Gonzaga, 1346, 88.034-000, Florianópolis, SC. http://orcid.org/0000-0001-5214-3984
  • Marlise Nara Ciotta Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (EPAGRI). Estação Experimental de Lages, Rua João José Godinho, s/n, 88,502-970, SC. https://orcid.org/0000-0002-9807-2912
  • Rubens Onofre Nodari Programa de Pós-graduação em Recursos Genéticos Vegetais (RGV), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Rod. Admar Gonzaga, 1346, 88.034-000, Florianópolis, SC. http://orcid.org/0000-0002-8884-2426

DOI:

https://doi.org/10.22491/RAC.2019.v32n3.13

Palavras-chave:

Feijoa, comprimento, largura, forma da folha, avaliação não destrutiva

Resumo

A goiabeira-serrana [Acca sellowiana (O. Berg.) Burret] é uma espécie nativa do Sul do Brasil e do Nordeste do Uruguai. O conhecimento da área foliar é importante para o manejo das plantas, em estudos de fisiologia e para a estimativa de danos fitossanitários. Os modelos matemáticos utilizados para a estimativa da área foliar da goiabeira-serrana não consideram as diferenças entre os formatos das folhas de cada cultivar. O objetivo deste trabalho foi avaliar, ajustar e validar modelos matemáticos para a estimativa da área foliar de quatro cultivares brasileiras de goiabeira-serrana. Foram realizadas duas coletas de folhas, a primeira para o estabelecimento dos modelos matemáticos e a segunda para a validação e estimativa da área foliar. As folhas das cultivares SCS411 – ‘Alcântara’, SCS412 – ‘Helena’, SCS414 – ‘Mattos’ e SCS415 – ‘Nonante’ foram coletadas do Banco Ativo de Germoplasma (BAG) da Epagri, em São Joaquim/SC, Brasil. Foram mensurados: a área foliar (AF), o comprimento (C), a largura (L) e o índice de forma das folhas, sendo os dados analisados com o uso dos modelos de regressão linear e quadrático. A estimativa da área foliar a partir das equações propostas apresenta elevada precisão e simplicidade de execução. A equação y=0,7345x+0,0298, onde x refere-se ao produto do comprimento pela largura da folha (L*C), apresentou os melhores resultados de ajustes nos modelos testados.

Biografia do Autor

Fernando David Sánchez-Mora, Engenheiro Agrônomo, M.Sc., Programa de Pós-graduação em Recursos Genéticos Vegetais (RGV), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Rod. Admar Gonzaga, 1346, 88.034-000, Florianópolis, SC.

Engenheiro Agrônomo, M.Sc., e finalizando o Doutorado em Programa de Pós-graduação em Recursos Genéticos Vegetais (RGV),

Marcelo Borghezan, Engenheiro Agrônomo, Dr., Frutifica Treinamento. Rua São Pedro Velho, 600, 89.136-000, Rodeio, SC. E-mail:

Engenheiro Agrônomo, Dr em Recursos Genéticos Vegetais (RGV), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Luciano Saifert, Programa de Pós-graduação em Recursos Genéticos Vegetais (RGV), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Rod. Admar Gonzaga, 1346, 88.034-000, Florianópolis, SC.

Engenheiro Agrônomo, Mestrando RGV/UFSC. Florianópolis, SC, Brasil.

Marlise Nara Ciotta, Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (EPAGRI). Estação Experimental de Lages, Rua João José Godinho, s/n, 88,502-970, SC.

Engenheira Agrônoma, Dra.,

Rubens Onofre Nodari, Programa de Pós-graduação em Recursos Genéticos Vegetais (RGV), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Rod. Admar Gonzaga, 1346, 88.034-000, Florianópolis, SC.

Possui graduação em Agronomia pela Universidade de Passo Fundo (1977), mestrado em Agronomia (Fitotecnia) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1980) e doutorado em Genética- University of California at Davis (1992). Atualmente é professor titular da Universidade Federal de Santa Catarina. Para o curso de Agronomia leciona disciplinas de Melhoramento de Plantas e Biotecnologia. No Programa de Pós-graduação em Recursos Genéticos Vegetais ministra as disciplinas Conservação de Recursos Genéticos, Análise da Diversidade Genética e Genética de Populações. Nos últimos 20 anos vêm realizando estudos e orientando estudantes de graduação e pós-graduação relacionados com a (i) Domesticação da Acca sellowiana, também conhecida por feijoa ou goiabeira-serrana; (ii) genética e melhoramento vegetal, (iii) filogenia e filogeografia de plantas autóctones e (iv) biossegurança e biorriscos de OGMs. Desde 2012 se integrou na rede de pesquisa com videira e vinhos. Particularmente, atua em genética e melhoramento de videiras para combinar resistência a doenças e qualidade do vinho. Parcerias com pesquisadores da Epagri, Julius KühnInstitut. JKI (Alemanha) e a Fundação Edmunch Mach (Itália) tem proporcionado o intercâmbio de conhecimento e de germoplasma das variedades Piwi. Na UFSC assumiu os seguintes cargos: Chefe do Departamento de Fitotecnia, de 14/07/80 a 29/06/83; Coordenador do Programa de Pós-graduação em Recursos Genéticos Vegetais de 2010 a 2015. No âmbito das Sociedades Científicas foi Secretário Regional (SC) da Sociedade Brasileira de Genética no período 1998-2000 e Secretário Regional (SC) da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência no período 2002-2004. Em órgãos governamentais foi Gerente de Recursos Genéticos Vegetais do Ministério do Meio Ambiente no período de 2003 a 2008. Foi membro da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) de 2003 a 2007 e de 2015 a 2016 e membro do Grupo de Estudos em Agrobiodiversidade (GEA) do Ministério de Desenvolvimento Agrário de 2012 a 2016. Desde 2013 é Prof, de disciplinas e Orientador no Curso de Mestrado em Conservação e Utilização de Recursos Fitogenéticos, na Universidade Agostinho Neto, Angola.

Downloads

Publicado

2019-10-03

Como Citar

Sánchez-Mora, F. D., Borghezan, M., Saifert, L., Ciotta, M. N., & Nodari, R. O. (2019). Modelos matemáticos para a estimativa da área foliar de cultivares brasileiros de goiabeira-serrana (Acca sellowiana). Agropecuária Catarinense, 32(3), 89-94. https://doi.org/10.22491/RAC.2019.v32n3.13

Edição

Seção

Artigo Científico