Morfologia de gemas dormentes com um ano e dois anos cultivadas em regiões com anos de insuficiência de frio hibernal

Autores

  • Ruy Inacio Neiva de Carvalho Centro de Ciências Agrárias e Ambientais da Pontifícia Universidade Católica do Paraná
  • Flavio Zanette UFPR/Setor de Ciências Agrárias

Palavras-chave:

Malus domestica, ‘Imperial Gala’, fisiologia, dormência

Resumo

O objetivo deste trabalho foi caracterizar a morfologia interna e externa de gemas dormentes em ramos de um ano e dois anos em macieiras cultivar Imperial Gala durante o outono e inverno, cultivadas em localidade de baixa ocorrência de frio. Os ramos com gemas dormentes foram coletados em sete datas distintas no ano de 2000 (19/4, 10/5, 31/5, 21/6, 12/7, 2/8 e 23/8) e levados ao laboratório para análise. Um grupo de ramos foi submetido ao teste biológico de estacas de nós isolados para monitoramento da intensidade de dormência nas gemas em cada data de coleta. Apesar de existirem diferenças na intensidade de dormência em cada período, não foram detectadas diferenças morfológicas internas e externas nas gemas entre as datas de coleta. Há diferenças na morfologia entre gemas de um ano e dois anos devido à formação de um primórdio caulinar no interior das gemas de dois anos, perfeitamente ligado ao ramo no qual a gema está inserida. Gemas de dois anos têm
potencial de brotação e formação de novos ramos na planta se as condições favoráveis lhes são propiciadas por meio do manejo das plantas.

Downloads

Publicado

2021-06-23

Como Citar

de Carvalho, R. I. N., & Zanette, F. (2021). Morfologia de gemas dormentes com um ano e dois anos cultivadas em regiões com anos de insuficiência de frio hibernal. Agropecuária Catarinense, 18(2), 68-72. Recuperado de https://publicacoes.epagri.sc.gov.br/rac/article/view/969

Edição

Seção

Artigo Científico