Sobrevivência de Phakopsora pachyrhizi em plantas voluntárias de soja nas regiões do Planalto Norte e Planalto Serrano de SC

Autores

  • Gilson José Marcinichen Gallotti Epagri / Estação Experimental de Canoinhas
  • Ricardo Trezzi Casa Udesc/Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV)

Palavras-chave:

Ferrugem asiática, Glycine max, vazio sanitário

Resumo

No presente trabalho é relatada a avaliação da incidência da ferrugem asiátca em plantas voluntárias de soja, no Planalto Norte e Planalto Serrano do Estado de Santa Catarina no período que compreendeu o vazio sanitário no ano de 2009, de 15 de junho a 15 de setembro. Foram avaliadas 67 lavouras, sendo 56 localizadas no Planalto Norte e 11 no Planalto Serrano. As plantas foram encaminhadas para os Laboratórios de Fitopatologia da Epagri/Estação Experimental de Canoinhas e para a Udesc de Lages, onde foram examinadas sob microscópio estereoscópico para verifcação da presença do agente causal da ferrugem. Observou-se a ocorrência de plantas voluntárias de soja, mas sem a ocorrência do patógeno causador da
ferrugem asiátca durante o período de vazio sanitário.

Downloads

Publicado

2020-04-28

Como Citar

Gallotti, G. J. M., & Casa, R. T. (2020). Sobrevivência de Phakopsora pachyrhizi em plantas voluntárias de soja nas regiões do Planalto Norte e Planalto Serrano de SC. Agropecuária Catarinense, 25(2), 64-67. Recuperado de https://publicacoes.epagri.sc.gov.br/rac/article/view/653

Edição

Seção

Nota Científica