Desempenho de milho inoculado com Azospirillum brasilense associado a doses de nitrogênio em cobertura

Autores

  • Carla Maria Pandolfo Epagri/Estação Experimental de Campos Novos
  • Gilcimar Adriano Vogt Epagri/ EE Canoinhas
  • Alvadi Antonio Balbinot Junior Embrapa Soja
  • Gilson José Marcinichen Gallotti Epagri/EE Canoinhas
  • Sérgio Roberto Zoldan Epagri/EE Campos Novos

Palavras-chave:

Zea mays, inoculação, bactéria diazotrófca, adubação nitrogenada

Resumo

Uma das alternatvas de redução no consumo de fertlizantes nitrogenados na cultura do milho é a inoculação de sementes com bactérias diazotrófcas que possuem a capacidade de fxar N atmosférico no solo. O objetvo deste trabalho foi avaliar algumas característcas agronômicas e o rendimento de grãos de milho cultvado em Latossolo Vermelho com diferentes doses de N em cobertura, na presença e ausência de inoculação de sementes com Azospirillum brasilense. Os experimentos foram conduzidos em Papanduva e em Campos Novos, SC, nos anos agrícolas 2011/12 e 2012/13, utlizando-se delineamento
fatorial 2 x 6, com os tratamentos alocados em blocos casualizados, com três repetções, avaliando-se a variedade de milho de polinização aberta SCS155 Catarina. Os fatores testados foram a inoculação com A. brasilense (presença e ausência) e doses de N em cobertura (0, 25, 50, 75, 100 e 125kg ha-1). A inoculação de sementes de milho com A. brasilense não aumenta o rendimento de grãos e não altera a massa de mil grãos, estatura de plantas, altura da inserção da espiga principal e diâmetro do colmo. A aplicação de N em cobertura no milho influencia de modo positvo o rendimento de grãos

Downloads

Publicado

2020-04-28

Como Citar

Pandolfo, C. M., Vogt, G. A., Balbinot Junior, A. A., Gallotti, G. J. M., & Zoldan, S. R. (2020). Desempenho de milho inoculado com Azospirillum brasilense associado a doses de nitrogênio em cobertura. Agropecuária Catarinense, 27(3), 94-99. Recuperado de https://publicacoes.epagri.sc.gov.br/rac/article/view/567

Edição

Seção

Artigo Científico