Estimativas do rendimento de farinha e de amido em mandioca

Autores

DOI:

https://doi.org/10.52945/rac.v34i2.797

Palavras-chave:

Manihot esculenta Crantz, fécula, rendimento industrial

Resumo

Através de análise de regressão linear, foram desenvolvidas equações e gráficos que possibilitam estimativas do rendimento de farinha a partir do peso de 3,0kg de raízes submersas em água (método da gravidade específica), para as regiões Sul Catarinense e Vale do Itajaí, em Santa Catarina. Em outro estudo de regressão linear, foi gerado um modelo matemático para estimativa do teor de amido das raízes a partir do seu teor de matéria seca. O método utilizado apresentou uma eficiência de extração de amido de 66%, ou seja, cerca de um terço do amido ficou retido no resíduo. Considerando uma eficiência de extração industrial próxima deste valor, é possível utilizar a equação gerada para estimar a produção de fécula a partir do teor de matéria seca dos tubérculos. Foram também determinados, no presente trabalho, os teores de matéria seca e amido das raízes de cinco cultivares comerciais de mandioca do Sul de Santa Catarina, colhidas após um e dois ciclos vegetativos. Foram registrados incrementos médios de 8,4% e 5,1% nos citados teores (base úmida), respectivamente, ao final do segundo ciclo de cultivo.

Biografia do Autor

Augusto Carlos Pola, Epagri/Estação Experimental de Urussanga, Santa Catarina, Brasil

Graduado em Engenharia Agronômica no Centro de Ciências Agroveterinárias (Lages-SC) em 1984. Mestrado em Agrometeorologia na Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" em 1987.

Epagri/Estação Experimental de Urussanga

Eduardo da Costa Nunes, Epagri/Estação Experimental de Urussanga

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Santa Catarina (1992), mestrado em Biotecnologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (2000) e doutorado em Biotecnologia e Biociências pela Universidade Federal de Santa Catarina (2013). Atualmente é pesquisador (Agente técnico de formação Superior IV) da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina-Epagri/Estação Experimental de Urussanga. Tem experiência na área de Agronomia e Botânica, com ênfase em Biotecnologia Vegetal, atuando principalmente nos seguintes temas: Cultura e conservação in vitro de espécies vegetais associadas a aplicação de técnicas de cultura de células e tecidos vegetais e criopreservação. Metabolômica de plantas. Na Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) está vinculado a grupo de pesquisa de mandioca (Manihot esculenta Crantz) da Estação Experimental de Urussanga (SC).

Alexsander Luis Moreto, Epagri/Estação Experimental de Urussanga

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Lavras (2003), mestrado em Genética e Melhoramento de Plantas pela Universidade Federal de Lavras (2005) e doutorado em Genética e Melhoramento de Plantas pela Universidade Federal de Lavras (2008). Atualmente é pesquisador da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Melhoramento Vegetal, atuando principalmente nos seguintes temas: melhoramento genético e genética quantitativa.

Referências

ALVES, E.R. de A.; VEDOVOTO, G.L. A indústria do amido de mandioca. Brasília: Embrapa, 2003. 201p. (Documentos, 6). Disponível em: https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/bitstream/doc/109712/1/Industriaamidomandioca.pdf. Acesso em: 12 nov. 2019.

CARVALHO, P.R.N.; MEZZETTE, T.F.; VALLE, T.L.; CARVALHO, C.L.R.; FELTRAN, J.C. Avaliação da exatidão, precisão e robustez do método de análise do teor de matéria seca de mandioca (Manihot esculenta, Crantz) por meio da determinação do peso específico (balança hidrostática). Revista Raízes e Amidos Tropicais, Botucatu, v.3, p.1-4, 2007. Disponível em: http://energia.fca.unesp.br/index.php/rat/article/view/1313. Acesso em: 8 out. 2019.

CEREDA, M. P.; VILPOUX, O. & TAKAHASHI, M. Balança hidrostática como forma de avaliação do teor de massa seca e amido. In CEREDA, M. P. & VOLPOUX, O. Tecnologia, usos e potencialidade de tuberosas amiláceas latino-americanas. São Paulo – Fundação Cargill, v.3. n.2 p. 30-47, 2003.

FUKUDA, W.M.G.; CALDAS, R.C. Relação entre os conteúdos de amido e farinha em mandioca. Revista Brasileira de Mandioca, Cruz das Almas, v.6, n.2, p.57-63, 1987.

JUSTE JUNIOR, E.S.G.; CARVALHO, V.D. de; VILELA, E.R.; CLEMENTE, P.R.; CORREA, H. MORAES, MORAES, A.R. de. Comparação entre o método físico da balança hidrostática e métodos químicos na determinação de amido em raízes de mandioca. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.18, n.1, p.55-57, 1983. Disponível em: https://seer.sct.embrapa.br/index.php/pab/article/view/15150/8933. Acesso em: 12 dez. 2019.

LEBOURG, C. Brasamide et la fécule: une historie d’amour. Botucatu: Centro de Raízes Tropicais, UNESP, 1996. 59p.

LEONEL, M.; CEREDA, M.P. Extração da fécula retida no resíduo fibroso do processo de produção de fécula de mandioca. Ciência e Tecnologia de Alimentos, Campinas, v.20, n.1, p.122-127, 2000. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-20612000000100023. Acesso em: 27 nov. 2019.

MONDARDO, E.; LAVINA, M.L.; DITTRICH, R.C. Variação Sazonal na produção de mandioca em solo Areias Quartzosas Distróficas, na Região Sul Catarinense. Florianópolis: Epagri, 2001. 33p. (Epagri, Boletim Técnico, 116).

POLA. A.C.; MORETO, A.L.; NUNES, E.C.; PERUCH, L.A.M.; NEUBERT, E.O. Variações na produtividade e matéria seca de raízes de mandioca em função da época de colheita. Agropecuária Catarinense, Florianópolis, v.30, n.3, p.79-83, 2017. Disponível em: https://publicacoes.epagri.sc.gov.br/RAC/article/view/149/149. Acesso em: 26 nov. 2020.

POLA, A.C.; NUNES, E.C.; MORETO, A.L. Matéria seca em raízes de mandioca determinada pelos métodos da balança hidrostática e de secagem em estufa. Agropecuária Catarinense, Florianópolis, v.33, n.1, p.56-60, 2020. Disponível em: https://publicacoes.epagri.sc.gov.br/RAC/article/view/533/707. Acesso em: 27 nov. 2020.

Downloads

Publicado

2021-08-24

Como Citar

Pola, A. C., Nunes, E. da C., & Moreto, A. L. (2021). Estimativas do rendimento de farinha e de amido em mandioca. Agropecuária Catarinense, 34(2), 30-33. https://doi.org/10.52945/rac.v34i2.797

Edição

Seção

Nota Científica

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.