Intensidade da mancha-reticulada (Leandria momordicae) em pepineiros (Cucumis sativus)cultivados em estufa e a céu aberto

Autores

  • José angelo Rebelo Epagri/Estação Experimental de Itajaí
  • Miguel Dalmo de Menezes Porto UFRGS
  • Henry Stuker Epagri/Estação Experimental de Itajaí

Palavras-chave:

mancha-zonada, “net spot”, cucurbitáceas, epidemiologia.

Resumo

A severidade da mancha-reticulada em pepineiros agravou-se, no litoral catarinense, pela ampliação da estação de cultivo, com o uso de cultivares sem sementes e pela baixa eficiência dos fungicidas empregados no
controle do patógeno causador da mancha-reticulada (Leandria momordiae). As epidemias são mais severas nos períodos de chuvas e estão associadas às temperaturas típicas do outono-inverno da região. O objetivo deste
trabalho foi determinar a intensidade da mancha-reticulada associada à temperatura, à umidade relativa e ao número de dias com chuvas em pepineiros sem sementes tutorados, plantados a céu aberto e em estufa, no outono
de 2000 e de 2001 e no outono-inverno de 2002. Houve correlação positiva entre a severidade da doença e o aumento do número de dias de chuvas, associados com a faixa de temperatura entre 15 e 21,5 oC. Estufas podem ser
empregadas para redução da incidência e severidade da mancha-reticulada de pepineiros.

Downloads

Publicado

2021-06-23

Como Citar

Rebelo, J. angelo, Porto, M. D. de M. ., & Stuker, H. . (2021). Intensidade da mancha-reticulada (Leandria momordicae) em pepineiros (Cucumis sativus)cultivados em estufa e a céu aberto. Agropecuária Catarinense, 18(3), 73-76. Recuperado de https://publicacoes.epagri.sc.gov.br/rac/article/view/983

Edição

Seção

Artigo Científico