A importância do erro experimental

Autores

  • Cristiano Nunes Nesi Epagri/Cepaf
  • Stéfani de Bettio Unochapecó

Palavras-chave:

variação ambiental, diferença mínima significativa.

Resumo

O erro experimental resulta dos efeitos de fatores não controlados que causam variação e ocorrem de forma aleatória entre as unidades que receberam os tratamentos, não pode ser conhecido individualmente e tem interferência nos testes de hipóteses e nos procedimentos para comparações de médias. O objetivo dessa revisão é discutir a importância do erro experimental no teste F e na diferença mínima significativa (DMS) utilizada nos procedimentos de comparações múltiplas de médias, exemplificando com um ensaio de competição de cultivares de feijoeiro. A DMS se eleva quando há aumento no quadrado médio do resíduo. Para o exemplo, quando o coeficiente de variação aumenta de 5% para 20%, a DMS aumenta em quatro vezes nos testes de Scheffé e Tukey
e cinco para Dunnett e Duncan. Para um coeficiente de variação de 20%, a DMS é mais de 50% da média das cultivares para os testes de Scheffé e Tukey. Observa-se uma DMS entre dois tratamentos maior que a média do experimento com um coeficiente de variação de 35% utilizando-se o teste de Scheffé.

Downloads

Publicado

2021-05-27

Como Citar

Nesi, C. N., & de Bettio, S. . (2021). A importância do erro experimental. Agropecuária Catarinense, 19(1), 78-81. Recuperado de https://publicacoes.epagri.sc.gov.br/rac/article/view/920

Edição

Seção

Artigo Científico

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.