Frutíferas hospedeiras de moscas-das-frutas: arrancá-las ou conservá-las?

Autores

Palavras-chave:

hospedeiros nativos, Anastrepha fraterculus, biodiversidade, parasitoides

Resumo

No Sul do Brasil, a incidência da mosca-das-frutas sul-americana Anastrepha fraterculus (Diptera: Tephritidae) tem sido uma das principais limitações à produção de frutíferas de clima temperado nativas e exóticas. Em Santa Catarina, essa é a espécie de moscas-das-frutas mais frequente e abundante, com registro em 45 espécies de plantas, distribuídas em 18 famílias botânicas. A frutificação de hospedeiros nativos influencia no tamanho das populações de A. fraterculus que irão colonizar os pomares comerciais, pois a praga migra de espécies frutíferas nativas localizadas nas matas e proximidades dos pomares. 

Biografia do Autor

Janaína Pereira dos Santos, Epagri/Estação Experimental de Caçador, Santa Catarina, Brasil.

Possui graduação em Agronomia pela Universidade do Estado de Santa Catarina (2001), Mestrado (2005) e Doutorado (2013) em Fitotecnia/Entomologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Desde 2004 atua como Pesquisadora na Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina S.A., Estação Experimental de Caçador, SC. Desde 2006 atua como professora na Universidade Alto Vale do Rio do Peixe - UNIARP (anteriormente Fundação Universidade do Contestado). Pesquisadora colaboradora e participante de vários projetos de pesquisa multiinstitucionais entre EPAGRI, EMBRAPA, UDESC, UFRGS entre outras. 

Downloads

Publicado

2022-04-19

Como Citar

dos Santos, J. P. (2022). Frutíferas hospedeiras de moscas-das-frutas: arrancá-las ou conservá-las?. Agropecuária Catarinense, 35(1), 5-7. Recuperado de https://publicacoes.epagri.sc.gov.br/rac/article/view/1358

Edição

Seção

Opinião