Sonne – inovação tecnológica para aplicação no manejo integrado de pragas

Gustavo Carlos Knabben, Maicon William Machado Carvalho, Bruno Bertoldi, Yales Rômulo Novaes, Eduardo Rodrigues Hickel, Robert Hari Hinz

Resumo


O manejo integrado de pragas poderia ser mais bem implementado caso se dispusesse de mais aparatos atrativos para o monitoramento dos insetos nocivos. A armadilha luminosa é uma opção de aparato atrativo, porém sua instalação só é possível em locais supridos por rede de distribuição de energia elétrica. Assim, o objetivo deste informativo é apresentar uma armadilha luminosa autônoma, desenvolvida para uso em áreas não cobertas pela rede elétrica. Diodos emissores de luz (LEDs) foram adotados como fonte luminosa de baixo consumo de energia. Ainda constou no projeto um conversor C.C.-C.C.; baterias pequenas de 12V 7Ah e um painel fotovoltaico para conversão da energia solar em energia elétrica. O protótipo produzido – Sonne – foi instalado em lavoura de arroz irrigado e operado desde o mês de outubro de 2015, em comparação com duas armadilhas luminosas convencionais. A Sonne mostrou-se igualmente eficaz em atrair todos os grupos de insetos normalmente capturados por essas armadilhas, nos mesmos intervalos de tempo (F=0,99; p=0,50).

 


Palavras-chave


armadilha luminosa; monitoramento; controle de insetos; semicondutores; energia solar fotovoltaica

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22491/RAC.2019.v32n1.3

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Revista Agropecuária Catarinense



REVISTA AGROPECUÁRIA CATARINENSE (RAC) 

       ISSN 2525-6076 on-line
       ISSN 0103-0779 impresso
        

Epagri / Departamento Estadual de Marketing e Comunicação (DEMC)

Editoria Técnica
Fone: (48)3665-5449