Inter-relações nutracêuticas canônicas da soja e suas reflexões sobre o melhoramento genético

Autores

  • Ivan Ricardo Carvalho UNIJUI
  • José Antonio Gonzalez da Silva UNIJUÍ
  • Murilo Vieira Loro UNIJUÍ
  • Marlon Vinícius Da Rosa Sarturi
  • Danieli Jacoboski Hutra
  • Francine Lautenchleger

DOI:

https://doi.org/10.52945/rac.v34i3.1155

Palavras-chave:

Glycine max, genética de plantas, Famílias segregantes, análise multivariada

Resumo

Nos últimos anos foram frequentes os questionamentos sobre o comportamento dos genótipos em diferentes ambientes, sobretudo aqueles que buscam revelar o valor comercial e nutricional dos genótipos de soja. Diante do exposto, o objetivo deste estudo foi analisar os aspectos fisiológicos e nutricionais das Famílias Segregantes S5 da soja. Este trabalho está vinculado ao Programa de Melhoramento de Soja do IRC localizado em Campos Borges, Rio Grande do Sul, Brasil. O delineamento utilizado foi de blocos casualizados completos, contendo 40 genótipos de soja dispostos em quatro repetições, correspondentes aos genótipos da geração F5 testados em 2018 e 2019. Esta geração foi obtida por meio de hibridizações artificiais de plantas F1s ocorridas em 2014 e 2015, F2s em 2015 e 2016 e famílias segregantes F3 em 2016 e 2017 e F4 em 2017 e 2018. Os caracteres foram avaliados e submetidos aos pressupostos do modelo estatístico, verificando a normalidade e homogeneidade das variâncias. Análise de variância, agrupamento de médias, correlação linear e canônica foram utilizadas para a explicação comportamental das Famílias Segregantes de Soja F5. A análise de variância revelou diferença significativa (p <0,01) para todas as variáveis, indicando a existência de variabilidade genética. As famílias segregantes da geração F5 IRC8_130 e IRC31_102 são promissoras em programas de melhoramento que envolvem aspectos fisiológicos e nutricionais. As características de proteína bruta, fibra bruta, altura de inserção da primeira vagem, altura de planta e número de vagens com 4 grãos, são dominantes e determinantes para o estabelecimento de gerações segregantes, podendo ser utilizadas em programas de melhoramento.

Referências

AL-HADI, G.; ISLAM, R.M.; KARIM, A.M.; ISLAM, TM. Morpho-physiological characterization of soybean genotypes under subtropical environment. Genetika, Belgrade, v. 49, n. 1, p. 297-311, 2017. DOI: https://doi.org/ 10.2298/GENSR1701297A.

CRUZ, C.D. Genes Software – extended and integrated with the R, Matlab and Selegen. Acta Scientiarum Agronomy, Maringá, v. 38, n. 4, p. 547-552, 2016. DOI: https://doi.org/ 10.4025/actasciagron.v38i4.32629.

DARONCH, D.J.; PELUZIO, J.M.; AFFERRI, F.S.; TAVARES, A.T.; SOUZA, C.M. Eficiência ambiental e divergência genética de genótipos de soja na região central do Tocantins. Revista Cultura Agronômica, Ilha Solteira, v. 28, n. 1, p.1-21, 2019. DOI: https://doi.org/10.32929/2446-8355.2019v28n1p1-18

GAVIRAGHI, L.; PELLEGRIN, J.; WERNER, A.; BELLÉ, E.P.; BASSO, C.J. Adaptabilidade de cultivares de soja (Glycine max) no município de Frederico Westphalen. Revista Brasileira de Iniciação Científica, Itapetininga, v. 5, n. 6, p. 4-14, 2018. Disponível em: https://periodicos.itp.ifsp.edu.br/index.php/IC/article/view/1353/979. Acesso em: 20 out. 2021.

HAMAWAKI, R.L.; HAMAWAKI, O.T.; NOGUEIRA, A.P.O.; JULIATTI, F.C.; GLASENAPP, J.S.; HAMAWAKI, C.D.L. New high-yielding conventional soybean adapted to the states of Goiás, Minas Gerais and Mato Grosso, Brazil. Acta Scientiarum Agronomy, Maringá, v. 41, n. 1, p. 41-49, 2019. DOI: https://doi.org/10.4025/actasciagron.v41i1.39913.

LEAMY, L.J.; LEE, C.R.; SONG, Q.; MUJACIC, I.; LUO, Y.; CHEN, C.Y.; KJEMTRUP, S.; SONG, B.H. Environmental versus geographical effects on genomic variation in wild soybean (Glycine soja) across its native range in northeast Asia. Ecology and evolution, Hoboken, v. 6, n. 17, p. 6332-6344, 2016. DOI: https://doi.org/10.1002/ece3.2351.

LIMA, W.F.; PRETE, C.; RIBEIRO, A.; OLIVEIRA, M.F.; CARNEIRO, G.D.S.; ARIAS, C.; PÍPOLO, A.E.; DE TOLEDO, J.F.F. Metodologias para obtenção de resistência e/ou tolerância da soja à ferrugem-asiática. Summa Phytopathologica, Botucatu, v. 38, n. 1, p. 67-72, 2012. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-54052012000100011

MEDEIROS, R.S.G.; JULIATTI, F.C.; HAMAWAKI, O.T. Metodologias de avaliação e resistência de genótipos de soja a podridão vermelha da raiz (PVR). Bioscience jornal, Uberlândia, v. 20, n. 2, p. 21-36, 2004. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/biosciencejournal/article/view/6511/4245. Acesso em: 20 out. 2020.

MEOTTI, G.V.; BENIN, G.; SILVA, R.S.; BECHE, E.; MUNARO, L.B. Épocas de semeadura e desempenho agronômico de cultivares de soja. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 47, n. 1, p. 14-21, 2012. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-204X2012000100003.

MONTEIRO, F.J.F.; PELUZIO, J.M.; AFFÉRRI, F.S.; DE CARVALHO, E.V.; DOS SANTOS, W.F. Adaptabilidade e estabilidade de cultivares de soja para produtividade de óleo nos grãos. Agrarian, Dourados, v. 10, n. 5, p.18-21, 2017. DOI: 10.30612/agrarian.v10i35.3836

MONTEIRO, F.J.F.; PELUZIO, J.M.; AFFÉRRI, F.S.; DE CARVALHO, E.V.; DOS SANTOS, W.F. Correlação entre parâmetros de adaptabilidade e estabilidade em cultivares de soja quanto a produtividade de óleo. Revista de la Facultad de Agronomía, La Plata, v.114, n. 2, p.143-147, 2016. Disponível em: http://revista.agro.unlp.edu.ar/index.php/revagro/article/view/9. Acesso em: 20 out. 2021.

NOGUEIRA, A.P.O.; SEDIYAMA, T.; SOUSA, L.B.; HAMAWAKI, O.T.; CRUZ, C.D.; PEREIRA, D.G.; MATSUO, E. Análise de trilha e correlações entre caracteres em soja cultivada em duas épocas de semeadura. Bioscience Journal, Uberlândia, v. 28, n. 6, p. 877-888, 2012. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/biosciencejournal/article/view/14576. Acesso em: 20 out. 2021.

OLIVEIRA, G.A. Componentes de produção, produtividade, adaptabilidade e estabilidade fenotípica de materiais de soja no Paraná. 2018. Dissertação (Mestrado em Agronomia) – Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Marechal Cândido Rondon, 2018.

PEREIRA, E.M.; SILVA, F.M.; VAL, B.H.P.; PIZOLATO NETO, A.; MAURO, A.O.; MARTINS, C.C.; UNÊDA-TREVISOLI, S.H. Canonical correlations between agronomic traits and seed physiological quality in segregating soybean populations. Genetics And Molecular Research, Ribeirão Preto, v.16, n. 2, p.1-11, 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.4238/gmr16029547.

PINHEIRO, L.C.M.; GOD, P.I.V.G.; FARIA, V.R.; OLIVEIRA, A.G.; HASUI, A.A.; PINTO, E.H.G.; ARRUDA, K.M.A.; PIOVESAN, N.D.; MOREIRA, M.A. Parentesco na seleção para produtividade e teores de óleo e proteı́na em soja via modelos mistos. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 48, n. 9, p. 1246-1253, 2013. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-204X2013000900008

SEDIYAMA, T. Tecnologia de produção e usos da soja. Londrina: Mecenas, 2009.

SHAPIRO, S.S.; WILK, M.B. Analysis of variance test for normality. Biometrika, Nova York, v. 52, n. 3/4, p.591-611, 1965. DOI: https://doi.org/10.2307/2333709

STEEL, R.G.D.; TORRIE, J.H.; DICKEY, D.A. Principles and procedures of statistics: a biometrical approach. New York: Columbia, 1997.

SZARESKI, V.J.; DE SOUZA, V.Q.; CARVALHO, I.R.; NARDINO, M.; FOLLMANN, D.N.; DEMARI, G.H.; FERRARI, M.; OLIVOTO, T. Ambiente de cultivo e seus efeitos aos caracteres morfológicos e bromatológicos da soja. Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável, Viçosa, v. 5, n. 2, p. 2-10, 2015. DOI: https://doi.org/10.21206/rbas.v5i2.247.

Downloads

Publicado

2021-12-28

Como Citar

Carvalho, I. R., da Silva, J. A. G., Loro, M. V., Sarturi, M. V. D. R. ., Hutra, D. J., & Lautenchleger, F. . (2021). Inter-relações nutracêuticas canônicas da soja e suas reflexões sobre o melhoramento genético. Agropecuária Catarinense, 34(3), 67-75. https://doi.org/10.52945/rac.v34i3.1155

Edição

Seção

Artigo Científico

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.