Castel Gala – mutação da macieira ‘Gala’ – mutação da macieira ‘Gala ’ – mu– mutação da macieira ‘Gala com baixa necessidade de frio e maturação precoce

Autores

  • Frederico Denardi Epagri/Estação Experimental de Caçador
  • Jânio José Seccon Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina

Palavras-chave:

Malus domestica, cultivar, adaptação climática, precocidade

Resumo

Em 2004, a produção brasileira de maçãs ficou em torno de 980.000t. Mais de 70% desta fruta foi produzida em regime de frio hibernal insuficiente para assegurar boa produtividade e boa qualidade de frutos. A maior parte provém de cultivares que requerem mais frio hibernal que o disponível em altitudes inferiores a 1.200m na Região Sul do Brasil. A deficiência de frio hibernal afeta diretamente a brotação, a floração, a qualidade dos frutos e, conseqüentemente, a produtividade. A cultivar Castel Gala necessita pouco frio hibernal e apresenta maturação dos frutos muito antes da colheita da ‘Gala’. Esta nova cultivar floresce de 20 a 25 dias antes da ‘Gala’ e tem coloração da epiderme similar à desta, assim como sabor e textura de polpa. Embora a maturação seja antecipada, os frutos da cultivar Castel Gala apresentam capacidade de conservação semelhante à da ‘Imperial Gala’. Estas características,
aliadas à baixa necessidade de frio, mostram que esta nova cultivar é uma boa opção para regiões de invernos menos frios que os recomendados para a cultivar Gala e Fuji.

Downloads

Publicado

2021-06-23

Como Citar

Denardi, F., & Seccon, J. J. . (2021). Castel Gala – mutação da macieira ‘Gala’ – mutação da macieira ‘Gala ’ – mu– mutação da macieira ‘Gala com baixa necessidade de frio e maturação precoce. Agropecuária Catarinense, 18(2), 78-82. Recuperado de https://publicacoes.epagri.sc.gov.br/rac/article/view/971

Edição

Seção

Germoplasma