A economia gerada na pecuária de Santa Catarina com a inoculação de rizóbios em leguminosas forrageiras

Autores

  • Murilo Dalla Costa Epagri / Estação Experimental de Lages
  • Edemar Brose Aposentado
  • Tássio Dresch Rech Epagri EEL
  • Ulisses de Arruda Córdova Epagri EEL
  • Gilberto Luiz Dalagnol Epagri EEL

Palavras-chave:

fixação biológica de nitrogênio, ureia, peletização de sementes

Resumo

Nos últmos anos a expansão de pastagens cultivadas e melhoradas no estado de Santa Catarina foi expressiva, o que permitiu que o Estado se tornasse o quinto maior produtor de leite do Brasil. Além desse aumento em área, também o processo tecnológico de implantação e o manejo de pastagens foram aprimorados. Uma das prátcas que mais cresceram foi a introdução de leguminosas em consorciação com gramíneas. Consequentemente, aumentou na mesma proporção o uso de inoculantes, pois se recomenda a semeadura de leguminosas com esse insumo. Isso implica a não utlização de fertilizante
nitrogenado mineral em aproximadamente 300 mil hectares de pastagens, o que gera uma economia de R$130.737.000,00 por ano na cadeia produtva da pecuária catarinense.

Downloads

Publicado

2020-04-28

Como Citar

Dalla Costa, M., Brose, E., Rech, T. D., Córdova, U. de A., & Dalagnol, G. L. (2020). A economia gerada na pecuária de Santa Catarina com a inoculação de rizóbios em leguminosas forrageiras. Agropecuária Catarinense, 27(1), 46-50. Recuperado de https://publicacoes.epagri.sc.gov.br/rac/article/view/580

Edição

Seção

Informativo Técnico