Avaliação do ganho de peso de cordeiros em três sistemas de produção

Autores

  • Volney Silveira de Ávila Epagri/Estação Experimental de Lages
  • Guilherme Caldeira Coutinho Epagri/Estação Experimental de Lages
  • Edison Martins Epagri/Estação Experimental de Lages

Palavras-chave:

confinamento, alimantação animal, "creep feeding"

Resumo

Avaliou-se o ganho de peso de cordeiros em três sistemas de produção. Cada sistema correspondeu a um tratamento (T), sendo o T1 formado por dez animais que permaneceram com as mães em uma área de 0,7ha
de pastagem de azevém e sem suplementação alimentar. O T2 formado por oito cordeiros confinados e alimentados com ração contendo 22% de proteína bruta e forragem de azevém à vontade. Os animais também tiveram acesso ao aleitamento de suas mães entre 12 e 14 horas e à noite. No T3, dez animais permaneceram todo o tempo com as mães em pastagens de azevém e acesso privativo à ração peletizada com 22% de proteína ("creepfeeding")4. O T2 teve o maior ganho de peso vivo no intervalo entre 33 e 64 dias de idade quando comparado com
T1 e T3 (P < 0,05). Nos intervalos de 17 a 32 e 65 a 80 dias de idade, T2 e T3 não diferiram entre si (P > 0,05), porém ambos diferiram do T1 (P < 0,05). As margens brutas foram de R$ 54,25, R$ 85,86 e R$ 66,99 para T1, T2 e T3, respectivamente, evidenciando o T2 como o de maior rentabilidade.

Downloads

Publicado

2021-01-26

Como Citar

de Ávila, V. S., Coutinho, G. C. ., & Martins, E. . (2021). Avaliação do ganho de peso de cordeiros em três sistemas de produção. Agropecuária Catarinense, 22(1), 52-56. Recuperado de https://publicacoes.epagri.sc.gov.br/rac/article/view/807

Edição

Seção

Artigo Científico