SCS 253-Sangão – nova cultivar de mandioca com elevado teor de matéria seca nas raízes

Autores

  • Augusto Carlos Pola Epagri/Estação Experimental de Urussanga
  • Mauro Luiz Lavina Epagri/Estação Experimental de Urussanga
  • Idelson José de Miranda Epagri/Estação Experimental de Urussanga
  • Mario Miranda Epagri/Centro de Pesquisa para Agricultura Familiar
  • Murito Ternes Epagri/Estação Experimental de Itajaí
  • Lucas Miura Epagri/Estação Experimental de Itajaí
  • Rubens Marschalek Epagri/Estação Experimental de Itajaí
  • Renato Arcângelo Pegoraro Epagri/Estação Experimental de Itajaí
  • Áurea Teresa Schmitt Epagri/Estação Experimental de Itajaí
  • Lucio Francisco Thomazelli Epagri/Estação Experimental de Ituporanga
  • Marcio Ender Udesc/Centro de Ciências Agroveterinárias
  • Euclides Mondardo Epagri/Estação Experimental de Urussanga

Palavras-chave:

Manihot esculenta, melhoramento genético, pesquisa participativa, produtividade, amido.

Resumo

A cultivar SCS 253-Sangão foi desenvolvida pelo projeto de melhoramento genético de mandioca da Epagri e também avaliada por agricultores, através do método de pesquisa participativa, nas principais regiões produtoras de mandioca do Estado de Santa Catarina, Brasil. Em ensaios de competição de cultivares e de pesquisa participativa, apresentou valores médios de produtividade de 20 a 24t/ha, alto teor de matéria seca nas raízes
(36,7% a 38,8%), resistência à bacteriose e à antracnose, ramas vigorosas e eretas, entre muitas características desejáveis.

Downloads

Publicado

2021-02-12

Como Citar

Pola, A. C., Lavina, M. L., de Miranda, I. J. ., Miranda, M. ., Ternes, M., Miura, L., Marschalek, R., Pegoraro, R. A. ., Schmitt, Áurea T. ., Thomazelli, L. F. ., Ender, M. ., & Mondardo, E. (2021). SCS 253-Sangão – nova cultivar de mandioca com elevado teor de matéria seca nas raízes. Agropecuária Catarinense, 21(2), 81-84. Recuperado de https://publicacoes.epagri.sc.gov.br/rac/article/view/858

Edição

Seção

Germoplasma