Inoculação de sementes de milho com Azospirillum brasiliense em diferentes doses de nitrogênio

Autores

  • Diego Bulla Unoesc / Campus Aproximado de Campos Novos
  • Alvadi Antonio Balbinot Junior Embrapa Soja

Palavras-chave:

Bactéria diazotrófca, adubação nitrogenada, crescimento vegetal, produtividade de grãos

Resumo

O objetvo deste trabalho foi avaliar o desempenho da cultura do milho na presença ou ausência de inoculação de sementes com Azospirillum brasilense com diferentes doses de nitrogênio (N) aplicado em cobertura. O experimento foi conduzido em Erval Velho, SC, no ano agrícola 2010/11, utlizando-se delineamento experimental de blocos completos, com três repetições, em esquema fatorial 2 x 5. Foram utilizadas sementes com e sem inoculação de Azospirillum brasilense e testadas cinco doses de N em cobertura: 0, 40, 80, 135 e 200kg/ha. Para produtividade de grãos não houve interação entre inoculação e doses de N. Entretanto, houve aumento da produtividade em função da inoculação e do incremento das doses
de N.

Downloads

Publicado

2020-04-28

Como Citar

Bulla, D., & Balbinot Junior, A. A. (2020). Inoculação de sementes de milho com Azospirillum brasiliense em diferentes doses de nitrogênio. Agropecuária Catarinense, 25(2), 61-63. Recuperado de https://publicacoes.epagri.sc.gov.br/rac/article/view/652

Edição

Seção

Nota Científica

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.