Avaliação econômica por projeção financeira de um adensamento de erva-mate

Autores

  • Eraldo Antonio Bonfatti Júnior Engenheiro Florestal, Msc., Doutorando em Engenharia Florestal, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Avenida Pref. Lothário Meissner, 632, Jardim Botânico, Curitiba, PR 80210-170, Brasil, e-mail: bonfattieraldo@gmail.com. https://orcid.org/0000-0002-2730-7681
  • Elaine Cristina Lengowski Engenheira Industrial Madeireira, Dra., Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT), Rua Fernando Corrêa da Costa, 2367, Boa Esperança, Cuiabá, MT 78068-600, Brasil, e-mail: elainelengowski@gmail.com. https://orcid.org/0000-0002-7336-7626
  • Pablo Machado Acadêmico de Engenharia Florestal, Universidade do Contestado (UnC), Rua Roberto Ehlke, 86, Centro, Canoinhas, SC CEP 89460-010, Brasil, e-mail: p.pablomachado@gmail.com. https://orcid.org/0000-0002-1338-7713
  • Kauana Melissa Cunha Dickow Engenheira Florestal, Dra., Universidade do Contestado (UnC), Rua Roberto Ehlke, 86, Centro, Canoinhas, SC CEP 89460-010, Brasil, e-mail: kauana@unc.br. https://orcid.org/0000-0002-3475-4711

Palavras-chave:

Produtos florestais não madeireiros, payback, VPL, TIR.

Resumo

A exploração de erva-mate é uma das atividades agrícolas mais antigas na região do Planalto Norte Catarinense. Além do vínculo cultural, representa fonte de renda e empregabilidade para os agricultores. O presente trabalho destina-se ao estudo da avaliação econômica de um adensamento aleatório de erva-mate em um plantio nativo. A produtividade do erval foi estimada em três sistemas de colheita: em sistema anual, em sistema bienal (Bienal 1) e em sistema intercalado, onde cada metade do erval é colhida a cada dois anos intercalados (Bienal 2). Para cada sistema de colheita foram calculados o payback, a razão receitas/custos, o custo médio de produção, o valor presente líquido (VPL), o valor anual equivalente (VAE), o valor presente líquido infinito (VPL∞) e a taxa interna de retorno (TIR). Após processados todos os dados, o sistema anual foi claramente o que apresentou o payback mais curto, de 1,66 ano, mostrando que nesse sistema o retorno do investimento inicial será mais rápido, pois evita a perda natural de folhas. O sistema de colheita anual também apresentou melhor VPL e maior TIR, de 76%, demonstrando melhor viabilidade econômica.

Biografia do Autor

Eraldo Antonio Bonfatti Júnior, Engenheiro Florestal, Msc., Doutorando em Engenharia Florestal, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Avenida Pref. Lothário Meissner, 632, Jardim Botânico, Curitiba, PR 80210-170, Brasil, e-mail: bonfattieraldo@gmail.com.

Possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade de Brasília (2010) e Mestrado em Recursos Florestais na Universidade de São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" (2014), atualmente é discente de doutorado do programa de pós-graduação em Engenharia Florestal da Universidade Federal do Paraná. Atua como professor na Universidade do Contestado. Trabalha e tem experiência internacional na área de Tecnologia e Utilização de Produtos Florestais, com ênfase em Tecnologia de Celulose e Papel, atuando principalmente nos seguintes temas: qualidade da madeira, processos produtivos de indústria à base de madeira, novas matérias-primas para indústria de celulose, processos kraft de polpação, estágios de branqueamento de polpa celulósica e biorrefinarias. Tangencialmente desenvolve projetos na área de Inventário Florestal, Sistemas de Informações Geográficas, Topografia, Cartografia e Geoprocessamento. 

Referências

ASSAF NETO, A. Matemática financeira e suas aplicações. São Paulo, SP: Atlas, 2016. 304p.

BANCO DO BRASIL. Pronaf Florestal. Disponível em: http://encurtador.com.br/bnJZ5. Acesso em: 25 maio. 2019.

BONFATTI JUNIOR, E.A.; LENGOWSKI, E.C.; LUDKA JÚNIOR, A. Mapeamento do processo produtivo de erva-mate. Revista Internacional de Ciências, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.82-98, 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.12957/ric.2018.32500.

CARPANEZZI, A.A.; CARDOZO, A.; VALAIO, I.F.M.; GRAÇA, M.E.C.; IEDE, E.T.; HIGA, R.C.V. Queda anormal de folhas de erva-mate (Ilex paraguariensis). In: Seminário sobre Atualidades e Perspectivas Florestais, 1983, Curitiba. Anais[...] Curitiba, 1983. p.141-145.

CHECHI, L.A.; SCHULTZ; G.; FERRPNATTO, E.M.O.; MONTAGNER, J.M. Ativos territoriais e desenvolvimento: estudo da articulação pela indicação geográfica da erva-mate no polo ervateiro Alto Taquari - RS. Estratégia e Desenvolvimento, Santana do Livramento, v.1, n.1, p.16-34, 2017.

CUBAS, R. Restabelecimento de Araucária angustifólia e Ocotea porosa após sete décadas de exploração florestal. 2015. 120f. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) – Centro de Ciências Rurais, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2015.

EMBRAPA - EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISAS AGROPECUÁRIAS. Rentabilidade econômica comparativa entre plantios florestais e sistemas agroflorestais com erva-mate, eucalipto e pínus e as culturas do feijão, milho, soja e trigo. Colombo, PR: EMBRAPA, 1997. 35p

FERMINO JÚNIOR, P.C.P.; FOCKINK, G.D. Anatomia foliar de plantas jovens de erva-mate (Ilex paraguariensis A. St. Hill.) sob diferentes níveis de sombreamento. Scientia Agraria Paranaensis, Marechal Cândido Rondon, v.16, n.3, p.335-341, jul./set., 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.18188/1983-1471/sap.v16n3p335-341.

JUNKEIRA, A.A.; BASSO, V.M.; SOUZA, N.D. Evolução da extração vegetal de erva-mate no período de 2004 a 2015. In: I Semana de Aperfeiçoamento em Engenharia Florestal, 2017, Curitiba. Anais[...] Curitiba, 2017. p.306-310.

LEITE, P.F.; KLEIN, R.M. Vegetação. In: IBGE. Geografia do Brasil: Região Sul. Rio de Janeiro: IBGE, 1990. p.113-150.

PASA, D.L.; LAUREANO, F.; FARIAS, J.A.; NOLASCO, B.G. Análise econômica de plantios florestais na agricultura familiar da região Sul. Revista de Economia e Agronegócio, Viçosa, v. 15, n. 2, p. 275-293, jun./dez. 2017. Disponível em: https://doi.org/10.25070/rea.v15i2.469. Acesso em: 25 maio. 2019.

RAKOCEVIC, M.; MEDRADO, M.J.S.; LUCAMBIO, F.; VALDUGA, T.A. Ritmicidade de emissão e de queda de folhas e as suas consequências no manejo da erva-mate. In: Congreso Sudamericano de la Yerba Mate., 2006, Posadas. Anais[...] Posadas, 2006. P. 250-256.

REZENDE, J.L.P.; OLIVEIRA, A.D. Análise econômica de projetos florestais. 3. ed. Viçosa: UFV, 2013. 385p.

SIGNOR, P.; GOMES, G.S.; WATZLAWICK, L.F. Produção de erva-mate e conservação de Floresta com Araucária. Pesquisa Florestal Brasileira, Colombo, v. 35, n. 83, p. 199-208, jul./set. 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.4336/2015.pfb.35.83.898.

SILVA, M.L.; JACOVINE, L.A.G.; VALVERDE, S.R. Economia florestal. 2. ed. Viçosa: UFV, 2005. 178p.

SILVA, M.L.; FONTES, A.A. Discussão sobre os critérios de avaliação econômica: valor presente líquido (VPL), valor anual equivalente (VAE) e valor esperado da terra. Revista Árvore, Viçosa, v. 26, n. 6, p. 931-936, nov./dec. 2005.

WOLF, R.; PEREIRA, W.G. Análise econômica da evolução histórica da erva-mate em Mato Grosso do Sul. Revista em Agronegócio e Meio Ambiente, Maringá, v. 8, n. 1, p. 57-58, jan./abr. 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.17765/2176-9168.2015v8n1p57-78.

Downloads

Publicado

2020-05-01

Como Citar

Bonfatti Júnior, E. A., Lengowski, E. C., Machado, P., & Cunha Dickow, K. M. (2020). Avaliação econômica por projeção financeira de um adensamento de erva-mate. Revista Agropecuária Catarinense, 33(1), 44-49. Recuperado de https://publicacoes.epagri.sc.gov.br/RAC/article/view/492

Edição

Seção

Artigo Científico