Consequências da seca no Oeste Catarinense para a cultura dos citros na safra 2020/21

Autores

DOI:

https://doi.org/10.52945/rac.v35i2.1231

Palavras-chave:

citrus, déficit hídrico, coccus viridis, Capnodium sp.

Resumo

 O ciclo produtivo dos citros na safra 2020/2021 foi afetado por períodos de deficiência hídrica com magnitudes pouco comuns para o Oeste Catarinense, especialmente de setembro a novembro de 2020. Com a estiagem, as plantas sofreram murcha, redução de crescimento, abortamento excessivo de frutos da florada de inverno e, com o retorno das chuvas, floração intensa em dezembro. Isso causou uma safra temporã de dimensão atípica em diversos cultivares e locais. Também foram observados redução do tamanho dos frutos e aumento populacional da cochonilha-verde com consequente desenvolvimento intenso de fumagina. Essas consequências da estiagem nos pomares de citros na região sugerem a necessidade de maximizar o armazenamento de água no solo e monitorar a ocorrência de pragas.

Biografia do Autor

Eduardo Cesar Brugnara, Epagri / Centro de Pesquisa para Agricultura Familiar

Engenheiro-Agrônomo, Mestre em Fitotecnia, Pesquisador do Centro de Pesquisa para Agricultura Familiar da Epagri. Atua  em pesquisa científica e colabora na difusão de tecnologias principalmente para os cultivos de laranjeiras, tangerineiras e oliveiras, avaliando a adaptação de genótipos copa e porta-enxertos ao clima e solo da região Oeste de Santa Catarina e buscando melhorar a performance deles através de intervenções no manejo.

Rodolfo Vargas Castilhos, Epagri/ Cepaf

Engenheiro-Agrônomo, Doutor em Fitossanidade, Pesquisador em Entomologia do Centro de Pesquisa para Agricultura Familiar da Epagri. Atua  em pesquisa científica e colabora na difusão de tecnologias voltadas ao manejo integrado de pragas em cultivos de grãos e frutíferas.

Rafael Roveri Sabião, Epagri/ Cepaf

Engenheiro-Agrônomo, Doutor em Agronomia (Produção Vegetal), Pesquisador do Centro de Pesquisa para Agricultura Familiar da Epagri. Atua em pesquisa científica e colabora na difusão de tecnologias principalmente com fruticultura, fitotecnia, propagação de plantas, fenologia de frutíferas, frutas tropicais, nativas e exóticas. Atualmente lidera projetos de pesquisa com maracujazeiro e colabora em projetos de citros, oliveira e desenvolvimento sustentável da fruticultura no oeste catarinense.

Referências

CASTILHOS, R. V.; BRUGNARA, E. C.; SABIÃO, R. R.; ANDRADE, T. P. R.; NEGRI, G. Primeiro registro de Aleurocanthus woglumi (Hemiptera: Aleyrodidae) no estado de Santa Catarina, Brasil. Citrus Research & Technology, v. 40, p. e1051, 2019. DOI: htp://dx.doi.org/10.4322/crt.18919.

EPAGRI. Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina. Banco de dados de variáveis ambientais de Santa Catarina. Florianópolis: Epagri, 2020. 20p. (Epagri, Documentos, 310)

FERNANDES, F. L.; PICANÇO, M. C.; FERNANDES, M. S.; MAGALHÃES, S. V.; GONTIJO, P. C.; SILVA, V. F. Mortalidade de

Coccus viridis (Hemiptera: Coccidae) por Lecanicillium spp. em diferentes órgãos de Coffea arabica em casa de vegetação.

EntomoBrasilis, v. 2, n. 1, p. 11-16, 2008. DOI: htps://doi.org/10.12741/ebrasilis.v2i1.39.

FERNANDES, F. L.; PICANÇO, M. C.; SENA, M. E.; SILVA, V. F.; VILAÇA, F. N.; MARTINS, J. C. Sazonalidade de ataque de Coccus

viridis a cafeeiros durante o ano de 2004 em Viçosa - MG. In: Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil, 4, 2005. Anais[…]. Consórcio Pesquisa Café, 2005. Disponível em: htp://www.consorciopesquisacafe.com.br/index.

php/consorcio/separador2/simposio-depesquisa-dos-cafes-do-brasil/545-anaisdo-iv-simposio-de-pesquisa-dos-cafes-dobrasil. Acesso em: 13 jul. 2021.

GRAVENA, S. Manual prático de manejo ecológico de pragas dos citros. Jaboticabal: Gravena, 2005. 372p.

KOLLER, O. C. Clima e solo. In.: KOLLER, O. C. Citricultura: 1. Laranja: tecnologia de produção, pós-colheita, industrialização

e comercialização. Porto Alegre: Cinco Continentes, 2006. Cap. 4, p. 49-62.

KOLLER, O. L.; SOPRANO, E. Planejamento do pomar. In.: KOLLER, O.L. (Org.). Citricultura catarinense. Florianópolis: Epagri, 2013. Cap. 2, p.41-55.

MEDINA, C. L.; CASTRO, P. R. C.; KLUGE, R. A.; SESTARI, I. Citros. In.: CASTRO, P. R. C.; KLUGE, R. A.; SESTARI, I. Manual de fisiologia vegetal: fisiologia dos cultivos. Piracicaba: Editora Agronômica Ceres, 2008. p.498-516.

Downloads

Publicado

2022-08-31

Como Citar

Brugnara, E. C., Castilhos, R. V., & Sabião, R. R. (2022). Consequências da seca no Oeste Catarinense para a cultura dos citros na safra 2020/21. Agropecuária Catarinense, 35(2), 11-13. https://doi.org/10.52945/rac.v35i2.1231

Edição

Seção

Informativo Técnico