Influência dos diferentes tipos de pólen sobre a qualidade do fruto de pitaya

Autores

  • Alessandro Borini Lone Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina - Estação Experimental de Itajaí
  • Lúcia Assari Sadayo Takahashi Universidade Estadual de Londrina
  • Ricardo Tadeu de Faria Universidade Estadual de Londrina

Palavras-chave:

Cactaceae, Hylocereus, polinização artificial, xênia

Resumo

Resumo – Com objetivo de avaliar a qualidade dos frutos de Hylocereus undatus, flores foram polinizadas com polens de H. undatus, Hylocereus polyrhizus e Hylocereus costaricensis. Avaliaram-se aspectos como pegamento (%), peso (g), comprimento e diâmetro do fruto (cm), espessura da casca (cm), peso da casca/peso total do fruto, oBrix, número de sementes e peso de 100 sementes (g). O delineamento foi inteiramente casualizado, com 10 repetições. As médias foram comparadas pelo teste de Scott-Knott (p<0,05) e as correlações, pelo teste T (p<0,01). Para todas as fontes de pólen houve 100% de pegamento com correlação positiva entre peso, comprimento e diâmetro com o número e peso de 100 sementes. Pólen de H. polyrhizus e H. costaricensis proporcionaram frutos de maior comprimento e peso de 100 sementes, e H. costaricensis proporcionou frutos com maior peso e diâmetro.


Biografia do Autor

Alessandro Borini Lone, Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina - Estação Experimental de Itajaí

Engenheiro Agrônomo, Doutor em Fitotecnia, Pesquisador da EPAGRI - Estação Experimental de Itajaí.

Lúcia Assari Sadayo Takahashi, Universidade Estadual de Londrina

Professora Doutora do Departamento de Agronomia da Universidade Estadual de Londrina.

Ricardo Tadeu de Faria, Universidade Estadual de Londrina

Professor Doutor do Departamento de Agronomia da Universidade Estadual de Londrina.

Downloads

Publicado

2017-10-06

Como Citar

Lone, A. B., Takahashi, L. A. S., & de Faria, R. T. (2017). Influência dos diferentes tipos de pólen sobre a qualidade do fruto de pitaya. Agropecuária Catarinense, 30(2), 51-53. Recuperado de https://publicacoes.epagri.sc.gov.br/rac/article/view/200

Edição

Seção

Nota Científica